Home > Blog > Número de pessoas infectadas pela “doença da urina preta” cresce no nordeste

Número de pessoas infectadas pela “doença da urina preta” cresce no nordeste

Um novo boletim foi divulgado na quarta–feira, dia 1° de fevereiro, pela Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), informando sobre o aumento de casos da doença misteriosa que preocupa a população do nordeste brasileiro. Entre o período do dia 14 de dezembro de 2016 a 24 de janeiro deste ano, foram registrados 64 casos de mialgia aguda, conhecida por provocar dor muscular intensa e excreção de urina profundamente escura, sinal de insuficiência renal.

A doença se concentra na região de Salvador e municípios próximos, mas os médicos que examinaram os pacientes ainda não sabem afirmar como ocorre a contaminação. Segundo o boletim da Sesab, amostras foram enviadas para laboratórios em São Paulo e para a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro, além de laboratórios nos Estados Unidos. Para a imprensa, a Sesab divulgou apenas a confirmação de dois casos confirmados de morte causados pela doença.

Sintomas
Todos os pacientes sentem fortes dores nos músculos das pernas, na região lombar da coluna e no pescoço. Em alguns casos, apresentam urina escura e insuficiência renal. Médicos confirmam que a urina escura é consequência da morte de células musculares por inflamação, que chegam aos rins por meio do sangue. O nome mialgia aguda significa dor muscular intensa. O tratamento, por enquanto, se dá com uso de analgésicos e hidratação intensa.

Suspeitas
Médicos e pesquisadores investigam a possibilidade de ser uma bactéria em peixes consumidos na região do Litoral Norte da Bahia, mas dados do laboratório de virologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA) indicaram vestígios do enterovírus e do parechovírus. 

Cuidados minuciosos
Com a falta de informações concretas sobre a contaminação ou prevenção da doença, é necessário cautela com qualquer situação de risco. Higiene pessoal redobrada, saneamento básico, cuidado com alimentos de origem duvidosa são as precauções que a população deve ter sempre, além de se manter informado nos postos de saúde da região.