Home > Blog > Homem também pode desenvolver varizes

Homem também pode desenvolver varizes

Se você pensa que as varizes são um problema exclusivamente feminino está enganado. Dados da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV) mostram que 30% dos casos de varizes acontecem em homens. Normalmente, a hereditariedade é um fator que explica o surgimento de varizes, no entanto, sedentarismo, obesidade ou ter o hábito de ficar muito tempo sentado ou em pé também pode desencadear o problema.

A médica cirurgiã vascular Ingrid Macedo Filgueiras, da clínica Pronto Saúde, explica que as varizes são veias doentes, dilatadas e tortuosas que caracterizam alteração da circulação venosa do organismo. “As veias das pernas, que reconduzem o sangue ao coração após ter irrigado os membros inferiores, possuem válvulas que servem para impedir o retorno do sangue aos pés pela ação da gravidade. Quando elas não funcionam corretamente, o sangue fica retido nas veias provocando deformação, inchaço e alterações na sensibilidade da pele”, explica a médica.

Segundo a médica, mesmo que as mulheres sejam mais suscetíveis às varizes devido à ação hormonal, os homens devem se manter atentos aos sinais de varizes. “Além do histórico familiar e do sobrepeso, atividades musculares excessivas, feitas sem orientação especializada, colaboram no desenvolvimento das varizes nos homens”, diz.

Em casos muito graves de varizes, coágulos sanguíneos podem se formar nas veias afetadas, se desprender e deslocar até outros órgãos. “Na ocorrência de inflamações dolorosas, que não desapareçam com a elevação das pernas, é necessário procurar um médico vascular para avaliar a situação das veias”, explica Ingrid.

Dicas úteis para evitar varizes:
• Evitar ganhos exacerbados de peso;
• Manter uma dieta rica em fibras;
• Procurar não permanecer muito tempo parado em pé ou sentado;
• Não usar cintas abdominais apertadas;
• Realizar caminhadas ou exercícios físicos com supervisão;
• Não fumar;
• Utilizar meias elásticas, principalmente durante a gravidez, conforme recomendação médica;
• Evitar hormônios anticoncepcionais.
(Fonte: Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular)